Professor Francisco Alberto Cosmelli – Fundador

JAY SHIVA!!!

Francisco Alberto Cosmelli (1928-2003)

Fundador do Cosmelli Yoga Center – Desde de 2003 passou a se chamar  Poneshi Centro de Yoga e Meditação – dirigido pela professora Vera Lúcia Dias, viúva do prof. Cosmelli.

cosmelliDedicou os últimos 40 anos de sua vida à prática, ao ensino e à divulgação do Yoga no Brasil e no exterior.

Sempre se manteve fiel à tradição, disseminando o Yoga tradicional, ortodoxo.  Cerca de 11.000 pessoas foram iniciadas no Yoga por ele.

O Prof. Cosmelli começou sua busca espiritual em Rishikesh, Himalaias, Índia, onde participou do Curso de Meditação no ashram (mosteiro) da International Meditation Society.

Depois disso participou do Curso Internacional de Formação de Professores de Yoga ( Filosofia e Psicologia do Yoga e Tantra ) sob a orientação pessoal do eminente Prof. André Van Lysebeth ( Bruxelas, Bélgica e Ovronnaz, Suíça ). Diploma reconhecido pela Fédération Belge de Yoga e pelo Ministério de Educação da Bélgica.

Continuou aperfeiçoando seus conhecimentos com Curso de Sânscrito, Union Européenne F. N. de Yoga, Paris. Tese de Mestrado em Yoga (menção Magna Cum Laude ) no Yoga Jivana Satsangha, Vishwa Yoga Samaj, Ananda Ashram, Pondicherry, Índia; Yoga Meditation Seminar and Therapies, Shree Rajneesh Ashram, Puna, Maharastra, Índia; Curso de Meditação Transcendental e Ciência da Inteligência Criativa, Maharishi International University, Los Angeles, Califórnia, U.S.A.

IMAGENS DA TRAJETÓRIA ESPIRITUAL DO PROF. COSMELLI 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ao NOSSO AMADO PROF. COSMELLI,  dedicamos esta página com mensagens de alunos e amigos que tiveram o privilégio de conhecê-lo.

Andrey

HARI-HARI

Francisco Cosmelli, Mahatma e um grande amigo…

O tempo que estive ao seu lado, foi o suficiente para viver grandes emoções e dar boas gargalhadas, pois seu espírito jovem alegrava a todos por onde passava.

Muitas vezes, em padmásana, na penumbra da sala, flagrei minha mente fugir da conscientização da respiração a admirar aquele mestre que, imóvel, mostrava-se a minha frente.

Sinto ainda o abraço gostoso e o olhar carinhoso do velho Yogacharya…

Sua palavra amiga e suas atitudes coerentes jamais sairão da minha memória. Como também jamais findará a enorme gratidão e admiração que tenho por esta GRANDE ALMA…

NAMASTÊ

COM AMOR… Andrey

 

Bárbara

Homenagem

Ah! Como é difícil definir com palavras, tão grandes sentimentos…

Francisco Cosmelli, o professor, o amigo, o pai, o irmão… Olhos sempre brilhantes, de uma luz muito viva, radiante, pura… Tanta paz e harmonia ele exala. Quantas vezes eu esperei o dia inteiro pelo momento de estar com ele, de receber seu abraço gostoso e seus sábios conselhos, de ouvir o timbre calmo de sua voz a contar piadas, sempre risonho, bem disposto, afetuoso com todos e tudo. Não há maldade para o Francisco, nem dor, nem tristeza… Só amor.

Eu tive a sorte e a benção de conviver com ele, de receber seus carinhos e ensinamentos, de nutrir minha alma com a sabedoria simples de um verdadeiro Mestre. Perceber a respiração, o silêncio, a introspecção. Sentir todo o encanto da vida em um momento de meditação, no aconchego da sua companhia.

Tão familiar era o olhar amoroso, radiante e lúcido, desse homem que nos ensinava a dominar a mente e o corpo com equilíbrio, que admirava a disciplina e a pontualidade sem ser rígido, que se dedicava humildemente a engrandecer a vida de todos que tinham a honra de conviver com ele.

A dor de sua partida foi forte, mas também breve, pois ele nos ensinou a ter coragem, força e serenidade. A impermanência da vida nos traz ensinamentos… A sua pureza, o seu equilíbrio, a sua força e o seu amor estarão sempre presentes aonde ele estiver. Francisco é amor, ele transpirava amor por onde passava e certamente continua a fazê-lo. E AMOR é a palavra que melhor define o que sinto por ele.

Com muito carinho e admiração, Bárbara.

 

Bidi (Mantramitra Saraswati)

Tive a benção de, nesta vida, conhecer Cosmelli. Ele foi para mim como um segundo pai! O primeiro me deu os pés e ele, um lindo caminho para trilhar. Tenho certeza que a energia de amor deles, juntos, agora guia meus pés por esse caminho – O Yoga.

 

Carolina Borghetti

Nosso pouco convívio só me permite dizer que foi um imenso privilégio te-lo conhecido.

No coração, doces lembranças dos momentos que compartilhaste conosco.

 

Claudinha (Karunananda Saraswati)

Ao meu Amado e Amoroso Mestre,

Hari Om Tat Sat!

Trago uma gratidão profunda dentro do peito! A ti, que plantaste a semente do Amor no meu coração e a vontade de buscar a realização aqui nesta existência.

Sinto falta da tua presença refrescante, não minto, embora sinta cada vez mais intensamente que trabalhas neste outro plano nos iluminando com teu olhar amoroso e ainda mais compaixão que antes.

Minha compreensão da morte e da vida se elevou quando do teu passamento. Também esta lição me ensinastes!

Hoje te percebo ainda mais próximo como uma estrelinha! Nos inspirando e conduzindo através da doce visão do teu sorriso…

Meu coração pleno de alegria agradece o presente de te ter reencontrado!

Shanti! Shanti! Shanti!

Com Amor

 

Cris (Adishakti Saraswati)

Meu Querido Mestre:

Obrigada por tudo que fizeste e continuas fazendo por nós. Tu, como raras pessoas, sabias como fazer para que todos se sentissem felizes e amados. E mais, esse amor e felicidade não se restringiam àqueles momentos junto a ti.

Esse amor e felicidade se expandiam, e ainda se expandem, a outros contextos, junto a outras pessoas. Aprendemos, através do teu amor, a amarmos a nós mesmos e a amarmos todos e tudo a nossa volta, e para além dos sentidos. Contigo, querido professor Cosmelli, aprendemos a perseguir a felicidade e o amor, incondicionalmente, sem fronteiras e sem barreiras.

Um dia, e, por várias vezes, ocorreu um fato, que para mim, foi muito significativo. Tu me dizias com muito amor: Tu tens um sorriso lindo!

Até hoje quando lembro, eu “choro – sorrindo”, porque pela primeira vez na vida, alguém elogiava (no sentido verdadeiro da alma) meu sorriso. Sorriso, que na adolescência, havia sido motivo de vergonha para mim.

Querido mestre, obrigada pela tua sensibilidade, obrigada por nos mostrar a essência de todos, de tudo e da vida.

Sei que, de alguma forma, nos escuta e nos vê, porque nós continuaremos a sentir nosso grande mestre tocando nossos corações.

Com amor

 

Franco Pereira Hoffchneider

“Querido Professor Cosmelli, você ensinou a mim e muitas outras pessoas o real significado de viver e apreciar a vida e todos os seres vivos. Você estará eternamente em nossos corações.”

Hari Om Tat Sat

 

Gopala

O Professor Cosmelli é um destes seres que ninguém consegue esquecer, mesmo que tenha sido um breve encontro…

Só posso dizer obrigado pelas tardes que passei em companhia dele e sua esposa Verinha, bebendo “tchai” como só ele sabia fazer ou saboreando os quitutes do maior Cozinheiro (sim, com C maiúsculo, pois em suas preparações não era só alimento físico que era oferecido) que conheci…

Não é preciso dizer nada que já não tenha sido dito sobre a sua generosidade, equanimidade e tantas outras qualidades que esforçamo-nos em adquirir.

Nele tudo isso fluía, assim como as águas do Ganges desembocando em um vasto oceano de PREM.

Hari Om

 

Leninha

“Papai” Cosmelli:

Não sei o que dizer a Você, que possa expressar exatamente o significado de ter lhe conhecido e, menos ainda, o privilégio de ter sido “adotada” como sua filha. Você me chamava de Leninha e a meu filho de Sandrinho, seu neto, e sorria aquele sorriso que tinha a pureza dos amores-perfeitos que cobriam o canteiro da rua em frente à sua casa em Nova Pádua. Parecia que tudo que Você tocava se tornava puro e bom. Cada vez que fui visitá-los (a Você e à doce Verinha), lá em Nova Pádua, vivenciava o verdadeiro amor incondicional bem de pertinho e quando retornava a Porto Alegre, a sensação que vinha comigo era de pura leveza, a vida parecia diferente, sem grandes dificuldades, onde tudo se mostrava possível de ser realizado. Dois ou três dias depois de chegar e entrar na roda-viva da correria do dia-a-dia, aquela sensação ia se apagando, as dificuldades voltavam, mas ficava sempre em algum ponto de meu espírito aquele toque de leveza que havia vivenciado junto a Você. E aí, quando as coisas começavam a se tornar mais difíceis, chegava o dia da próxima aula de Yoga e novamente um contato com Você reacendia a chama do amor e da leveza nos caminhos da vida.

Tínhamos uma reunião marcada para o dia seis de outubro de dois mil e três, às dez e trinta da manhã, para aprovação final das artes e orçamentos do livro “Os Yoga Sutras de Patanjali”. Você partiu meia hora antes. Você, certamente, já havia acabado sua missão por aqui. Mas é difícil para mim, muito difícil, entender sua partida. Se avaliar com os olhos da alma, está tudo certo, afinal, como Você sempre dizia: “tudo está perfeito”. Porém, como estou muito distante de entender a vida sob a mesma ótica que Você a compreendia, para mim a dor é imensa e o vazio que Você deixou, maior ainda.

Que a leveza das águas e as mãos do vento lhe conduzam até onde Você desejava chegar. Que o grande Ganges o receba com amor e o acolha para sempre em seu leito sagrado. E que Você permaneça sempre presente em nossa memória, em nossos corações e, principalmente, que possamos praticar em nossa trajetória nesta terra, ao menos um pouquinho do que Você nos ensinou.

“Papai” Cosmelli, que saudades!!!

 

Lia Magali Ceroni

FRANCISCO ALBERTO COSMELLI

Viveu entre nós um iogue que dedicou sua vida a mais sublime de todas as tarefas – ensinar a arte da meditação. E ele o fez com perfeição, porque reunia em sua amorosa pessoa todas as qualidades necessárias para isso – ele era bondoso, generoso, gentil, compreensivo, competente, evoluído e muito dedicado, mas, principalmente, era o seu amor que envolvia todos que se aproximavam dele.

Esse iogue foi a pessoa mais importante que conheci em minha vida. (Tive o privilégio de ser sua discípula nos últimos 31 anos). Foi ele que me abriu as portas para o transcendental, para aquilo que a morte não pode tocar – a paz, a alegria e o silêncio encontrados na meditação profunda. Todo o resto é pura impermanência. Aquilo é eterno.

Pelos seus ensinamentos, pelo bem que semeou, por ter sido uma Luz em nossos caminhos, Francisco Alberto Cosmelli continua vivo no coração de todos que o conheceram e amaram. Impossível se de outra forma.

 

Lolita

Querido “PROFESSOR” te amo tanto! Sei que nem tudo precisa ser explicado mas te amei desde o primeiro momento em que te vi e isso era realmente muito difícil de entender quando te conheci.

Me sinto imensamente feliz de termos nos encontrado nessa vida porque, afinal de contas, a minha jamais foi a mesma depois desse encontro. O meu coração transborda de alegria só de pensar em ti, me ensinaste uma maneira linda de ver a existência, de acreditar no que há de melhor em mim e nos outros, serei eternamente grata por todo esse amor.

Amado PROFESSOR sinto uma paz que eu desconhecia antes de te encontrar, há amor e esperança dentro de mim de uma forma que não lembro ter sentido antes, obrigada meu amor por ter dividido comigo a tua luz!

Com muito amor: LO

 

Luciana Carlucci (Lalitambikananda Saraswati)

O Prof. Cosmelli, meigo e carinhoso, apenas com seu sorriso já passava sabedoria, amor e uma ternura sem fim.

Deixou-nos uma grande paixão pelo yoga e a vontade de estar sempre buscando e aprofundando os conhecimentos através dos livros, tão importantes para ele.

Sinto como se continuasse, ainda hoje, a me estimular a seguir em frente nessa caminhada, aprendendo e ensinando yoga.

Namastê, com Amor, “Bebê”

 

Luciana Lee

Querido Professor Cosmelli

Sinto-me abençoada por ter te conhecido. O Yoga e, mais tarde, o Curso de Formação de Professores deram uma outra dimensão à minha vida, mostrando-me um caminho de realização e felicidade, apesar de todos os obstáculos que temos de enfrentar.

Nos últimos meses de nosso convívio, eu estava passando por momentos muito difíceis, inclusive lutando contra uma depressão, e fui PRESENTEADA com a revisão dos “Yoga Sutras”. Isso me trouxe estímulo e muita alegria, por ter a oportunidade de fazer esse trabalho de Karma Yoga, compartilhar contigo o amor pela Língua Portuguesa e trocar dicas de autores e livros.

Muito Obrigada.

 

Malvina (Vina)

Francisco:

Esta mensagem é de carinho e saudade. Foram mais de 30 anos de um convívio professor/aluno que, aos poucos, se transformou em grande amizade. Tiveste sempre uma palavra ou um gesto de amor a cada um de nós. São lembranças que não se apagam…

Que a Luz Divina continue a guiar-te. Um abraço afetuoso de tua “irmãzinha”.

 

Márcia Muller

Algumas Palavras

Derrepente, ele não estava mais lá… saudade em muitos e muitos corações…corações que conviveram com ele, aprenderam a sorrir e a amar…

Professor Cosmelli foi uma daquelas raras pessoas que curtia imensamente o que fazia. Em um estilo indiano expressava em todos os momentos sua forma de ser: paciente, tranquilo e bem humorado.

Um carioca que amava o Rio Grande, vivendo um estilo de vida que todo o ser humano almeja: simples e feliz!

Durante suas aulas de Yoga, entre um chá e outro, curtindo imensamente o que fazia, ia transmitindo para os alunos a beleza desta técnica milenar e despertando nos alunos o prazer de praticar Yoga.

Sempre tinha uma “boa história” para contar durante a aula ou em conversas informais… e suas gargalhadas… contagiava a todos…

Lembranças que guardaremos em nossos corações de uma pessoa que trouxe para Porto Alegre um estilo de Yoga tradicional, simples e ao mesmo tempo tão transformador…

Acho que ele foi uma pessoa muito abençoada, porque em determinada época da sua vida, ele teve a coragem de dizer não para tudo aquilo que ele não queria mais e então traçar um novo rumo, uma nova direção, no caminho do YOGA.

Sempre foi cercado por alunos que tinham um imenso carinho por ele e principalmente por uma pessoa que tão docemente e amavelmente compartilhou de uma forma tão bonita muitos anos de vida ao seu lado: VERINHA!!!

Agradeço imensamente a este querido professor que através do seu jeito de ser inspirou-me profundamente no caminho do YOGA!!!

De todo coração.

 

Márcio Neumann

Hari OM

Amado professor,

Gostaria que soubesse que, sou muito grato por ter tido a oportunidade de conhecer o senhor. Honestamente, seria uma árdua tarefa descrever o que tem representado você para mim e minha mãe. Além disso, seria egoísmo meu, prestar minha homenagem, apenas reconhecendo tudo aquilo que recebemos (nós apenas) de ti. Desta forma, amado, gostaria de prestar minha homenagem contando para os colegas que lerem esta, uma pequena historinha que guardo comigo:

De costume, no final de todas as aulas, o professor Cosmelli, após a relaxação final, encerrava a aula e ficava distribuindo abraços e beijos a todos (homens e mulheres, velhos e novos).

Naquele dia, eu estava observando o professor, e assim que ele cumprimentou a todos me aproximei dele para um abraço e beijo. Sobramos nós dois na sala e começamos a conversar, uma pequena conversa que não me lembro exatamente como começou. Caminhando em direção a porta, o professor me dizia algo sobre a Índia. Dizia algo, e me demonstrou profunda alegria por aquele lugar. Então me motivei a fazer uma pergunta:

-”Professor”, eu disse, “o senhor não pensa em voltar para lá”. Então ele parou de caminhar, se virou de lado para mim, me olhou e sorriu um sorriso de contentamento puro e disse, colocando a mão no coração:

-“Os Himalaias* estão aqui”.

Isto é tudo. Eu não poderia dizer mais nada. Quem teve a oportunidade de viver um pouquinho com ele, sabe que isto é verdade. Dez mil alunos passaram por ele, em mais de quarenta anos dedicados ao Yoga. Foi uma das pessoas que abriu portas para a entrada desta técnica de auto-realização no Brasil, em uma época muito diferente de hoje. Todos nós, temos muito a agradecer. Em verdade o Brasil tem muito a agradecer. Todos tem a agradecer.

De fato, onde ele estava,  ali estava um pouquinho dos Himalaias.

Obrigado querido professor.

Você, que tem tantos filhos, aqui tem mais um para dizer: “MUITO OBRIGADO!”

Como disse a Verinha:

-“Francisco, o seu nome é amor”.

Obrigado.

Om Tat Sat

*Os Himalaias: O professor se referia a cadeia de montanhas no plural, como é feito em outros países.

 

Maria Aparecida

Prof. Cosmelli

A generosidade e o amor encontraram em ti a melhor forma de se tornarem visíveis, palpáveis e, dessa maneira, capazes de conquistar a todos os que tiveram a sorte de estar próximos de ti.

 

Priscila Favaro

Mensagem para o Bem.

“Lembro-me da primeira vez que o vi… Senti algo tão bom e forte como se o Senhor Shiva estivesse se manifestando na minha frente. Muitas vezes o olhava e apesar de toda doçura não conseguia ver ou sentir nada além do que o próprio Nataraj. Conversando com ele pude notar ainda mais o aspecto amoroso e de compaixão que a tudo transmuta e regenera. Esse amor criou morada no meu coração e continuará sempre vivo nele!”

“Querido Cosmelli, sei que nesse momento estás dançando nos braços do Teu Bem Amado, por isso agradeço à Ele por ter me dado a oportunidade de tê-lo encontrado nessa vida”!

Om Namah Shivaya

 

Anúncios

4 pensamentos sobre “Professor Francisco Alberto Cosmelli – Fundador

  1. Eu descobri o amor pela Yoga sem perceber que já estava completamente entregue. Me sinto privilegiada em encontrar o Professor Cosmelli e, em São Paulo, a Marisa. Duas almas que amavam a Yoga. Hoje dando aulas e me orientando com o meu Mestre Iyengar e seus raros discípulos: Faeq Byria, Manouso Mannos e Maria Lorrio Castro.
    Vera Lúcia sinto saudades de vc. Vou te fzr uma visita quando eu for pra Porto Alegre. Beijos, Marilia.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s